21/12/2016

ROSINALDO LIMA

urna eletrônica é um avanço ou um retrocesso?


O tema a ser abordado neste artigo tratará a inclusão da urna eletrônica no sistema eleitoral brasileiro, seu histórico, motivações de sua implantação e questionamentos quanto a sua segurança. 
Falar sobre a implantação da urna eletrônica é muito mais complexo e importante do que se imagina, visto que abarca temas de tamanha importância envolvendo o próprio conceito do Estado Democrático de Direito. 

O voto é uma das poucas armas que a democracia confere aos cidadãos para exercer seu poder, e, devido a isso, qualquer assunto que o envolva deve ser tratado com atenção. 
atual desembargador do Estado de Santa Catarina, Carlos Prudêncio, foi o mentor intelectual do atual voto eletrônico. 
O modelo do programa de computador usado por Prudêncio é o mesmo adotado hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Não é de hoje que se tem a enorme preocupação com possíveis fraudes ao sistema eleitoral brasileiro, e apesar da urna eletrônica ter como um dos principais motivos de implantação a segurança do voto, muitos estudiosos e pesquisadores do assunto avaliaram o sistema atual e perceberam significantes falhas. 
Não é uma boa política de segurança se deixar abertas brechas nas defesas do sistema de voto eletrônico apenas a título de economia ou praticidade. 
É justamente essa questão o ponto alto do debate, que trará idéias de melhoramentos e a resposta da tentadora pergunta: a urna eletrônica é um avanço ou um retrocesso? 

Por jornal 21 brasil