13/04/2017

ROSINALDO LIMA

ONU;A Rússia usou seu poder de veto para cobrir o regime de Assad pela oitava vez desde que a guerra civil síria começou



O site americano americanmilitarynews.com  informou que; Na quarta-feira, a Rússia bloqueou um esforço do Conselho de Segurança da ONU para condenar o ataque de gás mortal na Síria na semana passada e empurrar o presidente sírio, Bashar al-Assad, para cooperar com uma investigação internacional sobre o ataque químico.A Rússia, que se alinhou de perto com o regime de Assad, usou seu poder de veto para cobrir o governo sírio pela oitava vez desde que a guerra civil síria começou em 2010.
"A Rússia mais uma vez escolheu estar do lado de Assad, assim como o resto do mundo, inclusive o mundo árabe, se reúne de forma esmagadora para condenar este regime assassino", disse ao Conselho de Segurança o embaixador dos Estados Unidos, Nikki Haley.
"Se o regime é inocente, como afirma a Rússia, as informações solicitadas nesta resolução teriam sido vindicadas", continuou.
Vladimir Safronov, o vice-embaixador russo da ONU, criticou o Conselho de Segurança por fazer uma suposição sobre quem foi o responsável pelo ataque sem nunca visitar o local.
"Estou espantado que esta foi a conclusão. Ninguém ainda visitou o local do crime. Como você sabe disso? "Safronov disse.
O ataque mortal na cidade síria de Khan Sheikhoun causou os Estados Unidos para agir em retaliação lançando 59 mísseis de Tomahawk à base aérea de Shayrat em Homs, onde os oficiais dos EU deduziram que o ataque químico foi lançado de. O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, disse que os ataques de mísseis dos EUA na Síria "estavam à beira de confrontos militares com a Rússia", afirmou o aliado de Assad, a Rússia, que condenou os ataques de mísseis dos EUA e os chamou de "ato de agressão" . "
Depois dos ataques químicos, o secretário de Estado Rex Tillerson disse que a Rússia não parecia "tão boa" depois de suas tentativas de ajudar a Síria a obter armas químicas em 2013.
"Estoques e uso contínuo demonstram que a Rússia falhou em sua responsabilidade de cumprir seu compromisso de 2013", disse Tillerson. "Não está claro se a Rússia não tomou esta obrigação seriamente ou a Rússia foi incompetente, mas esta distinção não importa muito para os mortos". fonte; http://americanmilitarynews.com                                                            
                                                                 doe qualquer valor para manter o site
                                                                 
                                                                    conta; caixa poupança;
                                                                    agen; 0806
                                                                    ope; 013
                                                                    conta; 00074856-4


só com sua ajuda podemos manter as noticias chegarem em sua casa, em tempo real,nosso muito   OBRIGADO.

Por jornal 21 brasil