28/04/2017

ROSINALDO LIMA

Coréia do Norte prende mais cristão americano



Tony Kim foi preso no Aeroporto Internacional de Pyongyang, depois de ter lecionado numa universidade de origem cristã, durante um mês
Há alguns dias, o governo da Coreia do Norte prendeu outro cidadão americano. Tony Kim, de 58 anos, foi detido no sábado, enquanto deixava o país, no Aeroporto Internacional de Pyongyang. Ele passou um mês ensinando contabilidade na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang (PUST - sigla em inglês). “A causa da prisão de Kim ainda é desconhecida, mas alguns funcionários disseram que não está relacionada ao seu trabalho na universidade e que ele estava envolvido em algumas atividades para ajudar um orfanato”, disse o chanceler da instituição.

uma clicadinha bos anúncios para ajudar
A PUST foi fundada por cristãos, em 2010. A maior parte dos alunos é composta pela elite norte-coreana e muitos seguem o cristianismo. A grade curricular inclui temas considerados tabus na Coreia do Norte, como o capitalismo, por exemplo. De acordo com a agência de notícias coreana, Yonhap, Kim é um cristão devoto e tem duas nacionalidades, ele é coreano-americano.
Com a prisão dele, subiu para três o número de americanos presos na Coreia do Norte. Kim Dong Chul, um missionário coreano-americano de 62 anos, foi detido em 2015 e  Otto Warmbier, um estudante americano e cristão, de 22 anos, que foi condenado a 15 anos, em 2016, acusado de ter “roubado” um cartaz de propaganda política de um hotel onde ele estava hospedado. Lembrando também que o pastor coreano-canadense Hyeun Soo Lim, foi condenado à prisão perpétua em 2015 por várias acusações, incluindo a tentativa de derrubar o governo. Como Tony Kim, Lim também estava envolvido em trabalhos humanitários com orfanatos. Ore pelos cristãos perseguidos na Coreia do Norte.

Por jornal 21 brasil