25/04/2017

ROSINALDO LIMA

GESTÃO MUNICIPAL; segundo mandato de um gestor público é sempre pior que o primeiro


A ideia de que o segundo mandato de um gestor público é sempre pior do que o primeiro é a pura verdade.
Com isso, a alternância de poder é importante para se dar maior transparência à gestão pública.

No caso de são tomé, então, faz-se necessária uma mudança total na gestão municipal, afinal as pessoas vivem  uma dúvida cruel:  -uma boa gestão em tempo de crise, precisa ter dinheiro ou competência?

São tomé vem perdendo a oportunidade de se afirmar como polo econômico da micro-região Potengi, e isso não vem de agora. vem de muito tempo atrás. 




Por aqui não se investiu nada na geração de emprego e renda, a agropecuária não mereceu atenção, não houve incentivo à indústria, a agricultura familiar foi esquecida, não se viu programas para fortalecer a micro e pequena empresa que são vitais para o comércio, enfim, a prefeita deixou e deixa muito a desejar no que diz respeito às suas promessas voltadas para o desenvolvimento do município.

Mas manter o elenco que está perdendo de goleada, aí, meu amigo, é burrice total, sem perdão. 
Para finalizar, a questão do segundo mandato ser sempre pior do que o primeiro. Geralmente, os políticos que assumem a gestão pública chegam cheios de gás, fazem algumas obras para mostrar serviço e jogam para a torcida, de olho, é claro, na reeleição. 
Depois de reeleitos, dificilmente trabalham em prol do povo, mas para o grupo político e dão atenção para o que não é prioridade para os contribuintes, e, sempre  acabam mandando muito mal no segundo mandato. 
reflita!





Por jornal 21 brasil