12/04/2017

ROSINALDO LIMA

Kim Jong Un sofre primeira derrota com bloqueio comercial chinês-americano


Navios cargueiros norte-coreanos estão retornando da China, alguns ainda cheios de carvão mineral, principal commodity vendida para China.
Segundo a Reuters, as sanções implementadas pela China em fevereiro entraram em vigor, impedindo a Coreia do Norte de vender sua mais preciosa exportação para seu maior parceiro comercial.
Para a Coreia do Norte, é a sua primeira derrota.
“Uma frota de navios cargueiros norte-coreanos está voltando para casa, a maioria deles totalmente carregados, depois que a China ordenou que suas companhias comerciais devolvessem o carvão do país isolado”, informou a Reuters.
A proibição das exportações norte-coreanas ocorreu depois que a Coreia do Norte  estava realizando testes de mísseis de longo alcance, mesmo depois de ter sido avisada. Em 26 de fevereiro, a China proibiu todas as importações de carvão da Coreia do Norte, de acordo com o The New York Times. Na sexta-feira, funcionários da alfândega da China ordenaram que os comerciantes do país devolvessem todas as cargas de carvão da Coreia do Norte para seus navios, informou a Reuters.
Esta notícia vem após o presidente dos EUA, Donald Trump, teve uma reunião bem sucedida de dois dias com o presidente chinês Xi Jinping no Resort Mar-a-Lago na Flórida.
Trump teria pressionado Xi a reprimir a Coreia do Norte, de acordo com a Newsmax. No domingo, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, disse à “Face the Nation” que a China começou a entender que a situação com a Coréia do Norte “se intensificou, e atingiu um certo nível de ameaça”.
Além de isolar ainda mais o já isolado do regime ditarorial de Kim Jong Un, a proibição da China ao carvão norte-coreano tem outra vantagem para os Estados Unidos. Apartemente a proibição, que deverá durar até o final do ano, favoreceu a negociação entre China e EUA.
“Para compensar o déficit da Coréia do Norte, a China aumentou as importações dos Estados Unidos, uma bênção inesperada para o presidente dos EUA,  que declarou que quer reviver o setor de carvão em dificuldades no país”, informou a Reuters.
“Os dados da Eikon mostram que nenhum carvão de coque dos EUA foi exportado para a China entre o final de 2014 e 2016, mas os embarques subiram para mais de 400 mil toneladas no final de fevereiro”, informou a Reuters.
Essa é uma maneira eficiente de matar dois pássaros com uma pedra só.                                          

                                                                 doe qualquer valor para manter o site
                                                                 
                                                                    conta; caixa poupança;
                                                                    agen; 0806
                                                                    ope; 013
                                                                    conta; 00074856-4


só com sua ajuda podemos manter as noticias chegarem em sua casa, em tempo real, OBRIGADO.

fonte; http://www.conservadorismodobrasil.com.br

Por jornal 21 brasil