25/06/2017

APOSTOLO ROSINALDO

VAZOU; PT se desespera e vê eleições sem lula


As novas suspeitas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de corrupção e preste a ser condenado pelo juiz Sergio Moro, fez com que o PT passasse a incluir em suas análises internas do cenário político e discussões sobre estratégias a possibilidade concreta de não contar com o seu líder máximo na disputa eleitoral de 2018. O receio é que uma condenação em segunda instância na Operação Lava-Jato o torne inelegível com base na Lei da Ficha Limpa.



A reação do PT às novas suspeitas é reforçar o empenho na defesa de Lula tanto nas ruas quanto nas redes sociais. mas isso não aconteceu, e Ninguém no partido ousa questionar ou cobrar explicações do ex-presidente lula.
A lei da ficha limpa foi criada em 2010, e até hoje é um dos principais assuntos dos jornais do país.  Listamos abaixo algumas situações citadas na LC 135. A Lei da Ficha Limpa é, na verdade, a Lei Complementar nº 135 de 2010, que altera algumas questões da Lei Complementar nº 64, de 1990. 
Se condenado em um dos processos na lava jato, não participará das eleições de 2018.
leia mais; a sentença de lula, deu errado pra ele

veja as situações; 
  • Renunciam ao seu cargo a fim de não mais serem processados ou para fugir de condenação – esses não poderão se candidatar nas próximas duas eleições;
  • Foram condenados por crimes de várias naturezas, variando entre improbidade administrativa, crimes contra o patrimônio público, de lavagem de dinheiro e ocultação de bens, abuso de autoridade, entre vários outros.
  • Descumpriram prerrogativas de seus cargos previstas na Constituição, como de não serem donos de empresas que tenham contratos com o poder público, por exemplo;
  • Que foram condenados por qualquer má prática relativa ao seu serviço no governo, que tenha a ver com a administração pública;
  • Que perderam seus cargos por alguma infração que cometeram durante seus mandatos;
  • Os que têm processos em andamento (que já foram aprovados) na Justiça Eleitoral;
  • Os que têm processo de apuração de abuso de poder econômico ou político para a eleição na qual concorrem.

leia mais; 

"DILMA É ANTA, E LULA É UM CARA DE PAU"., diz DORIA

Por jornal 21 brasil