Recent Posts

site de tecnologia biológica e seus avanços

EM 30 SEGUNDOS




ACESSO A BÍBLIA AMPLIFICADA,carta aos efésios

Acesso à Tradução da Bíblia Amplificada - Carta aos Efésios - Completa


A Carta aos Efésios é a carta de Paulo que trata da posição da Igreja perante Deus em Cristo. Coloca todos os homens em um único patamar. Estabelece um novo relacionamento entre os judeus e os não judeus e esclarece a forma de ter-se acesso à aliança com Cristo e, principalmente, o significado real do que é, do que pode, e do que tem a Igreja de Cristo sobre a Terra. 

Ousei propor uma tradução não oficial só pela riqueza de significado que essa tradução propõe, resgatando do original grego aquilo que foi sintetizado na tradução, o que facilita imensamente a compreensão. Essa versão da Bíblia não existe em português até onde eu saiba. Seguem a Carta aos Efésios completa. Leia também a Carta aos Gálatas, já postada antes. Na primeira coluna está o texto da Bíblia Amplificada e na segunda o texto da Almeida Revista e Atualizada. Aproveite a leitura!




Capítulo 1


1 Paulo, um apóstolo (mensageiro especial) de Jesus Cristo (o Messias) pela divina vontade (o propósito e a escolha de Deus) para os santos (os consagrados, os separados) em Eféso que são também fiéis, leais e firmes em Cristo Jesus:
1 Paulo, apóstolo de Cristo Jesus por vontade de Deus, aos santos que vivem em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus,
2 Possa a graça (o favor imerecido de Deus) e a paz espiritual (a qual significa paz com Deus, harmonia, unidade e tranqüilidade) sejam suas da parte de Deus nosso e do Senhor Jesus Cristo.
2 graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.
3 Possa a bênção (o louvor, o cumprimento e o elogio) ser[em] para o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo (o Messias) que nos tem abençoado em Cristo com toda as bênçãos espirituais (dadas pelo Santo Espírito) no reino celestial.
3 Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo,

4 Assim como [em seu amor] Ele nos escolheu [nos tomou para si como seus próprios] em Cristo, antes da fundação do mundo, para que nós pudéssemos ser santos (consagrados e colocados à parte para Ele) e sem manchas a partir do seu ponto de vista, acima de reprovação, perante Ele em amor.
4 assim como nos escolheu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor
5 Pois Ele nos preordenou (destinou-nos, planejou em amor para nós) para sermos adotados (revelados) como Seus próprios filhos através de Jesus Cristo, de acordo com o propósito de sua vontade [porque isso agradou a Ele e foi o seu terno intento]
5 nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade,
6 [Para que nós possamos ser] para o louvor e a recomendação de sua gloriosa graça (favor e misericórdia), a qual Ele tão gratuitamente outorgou a nós no Amado.
6  para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado,
7 Nele, nós temos redenção (libertação e salvação) através de Seu sangue, a remissão (perdão) de nossas ofensas (desvios e transgressões), de acordo com as riquezas e a generosidade de Seu favor gracioso,
7 no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça,
8 o qual Ele derramou abundantemente sobre nós em toda a espécie de sabedoria e compreensão (revelação prática e prudência).
8 que Deus derramou abundantemente sobre nós em toda a sabedoria e prudência,
?9 Fazendo-nos conhecer o mistério (segredo) de Sua vontade (de Seu plano, de Seu propósito), [E é este:] De acordo com Seu bom  grado (Sua misericordiosa intenção) que Ele havia previamente proposto e decidido nEle,
9 desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito que propusera em Cristo,
10 [Ele planejou] para a maturidade dos tempos e o clímax das épocas unificar todas as coisas, encabeçá-las e consumá-las em Cristo, [tanto] as coisas nos céus quanto as sobre a terra.
10 de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra;

11 Nele, nós também fomos feitos (porção da) herança (de Deus) e nós obtivemos uma herança; pois nós fomos predestinados (escolhidos e apontados de antemão) de acordo com o seu propósito, que opera em tudo de acordo com o conselho e desígnio de Sua [própria vontade],
11 nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade,
12 para que nós que primeiro esperamos em Cristo [que primeiro colocamos nossa confiança nEle, fomos destinados e apontados para]  viver para o louvor de sua glória!
12 a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo;
13 NEle vocês também escutaram a Palavra da Verdade, as alegres notícias (evangelho) de sua salvação e creram, aderiram a e descansaram nEle e foram selados com o selo do, há muito prometido, o Espírito Santo.
13 em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa;

14 Esse [Espírito] é a garantia de nossa herança [os primeiros frutos, o penhor e o pagamento de entrada da nossa herança], em antecipação de sua total redenção e da aquisição da nossa possessão [completa] da nossa herança – para o louvor da sua glória!
14 o qual é o penhor da nossa herança, ao resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória.
15 Por esta razão, porque eu tenho escutado de sua fé no Senhor Jesus e seu amor com respeito a todos os santos (o povo de Deus),
15 Por isso, também eu, tendo ouvido da fé que há entre vós no Senhor Jesus e o amor para com todos os santos,
16 eu não cesso de dar graças por vocês, fazendo menção de vocês em minhas orações.
16 não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações,
17 [Pois eu sempre oro para] o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, para que Ele possa conceder a vocês um espírito de sabedoria e revelação [de percepção dos mistérios e segredos] no [profundo e íntimo] conhecimento dEle,
17 para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,

18 tendo os olhos de seu coração inundados de luz, para que vocês possam saber e compreender a esperança para a qual Ele lhes chamou, e quão rica é Sua gloriosa herança nos santos (seus separados),
18 iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos

19 e, [para que vocês possam saber e compreender] qual é a imensurável, ilimitada e transbordante grandeza de Seu poder em e para nós que cremos, como demonstrou na operação de sua força poderosa,
19 e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder;

20 a qual Ele exerceu em Cristo quando o levantou da morte e sentou-o a Sua [própria] mão direita nos [lugares] celestiais,
20 o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais,,
21 Muito acima de toda a lei, autoridade, poder, domínio e todo nome que é nomeado [acima de todo título que possa ser conferido], não apenas nesta época e neste mundo, mas também na época e no mundo que há de vir.
21acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir, não só no presente século, mas também no vindouro.
22 e Ele colocou todas as coisas sob seus pés e o apontou como o Cabeça universal e supremo da Igreja [uma liderança exercida através da igreja]. [Salmo 8:6]
22 E pôs todas as coisas debaixo dos pés, e para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja,
23 a qual é o seu corpo, a plenitude dEle que preenche tudo em todos [pois naquele corpo vive a plena medida dAquele que faz tudo completo e que preenche tudo em todo lugar consigo mesmo].
23 a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.



Capítulo 2

1 E vocês [os transformados em vivos], quando vocês estavam mortos (destruídos) por [seus] desvios e pecados,
1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,

2 nos quais naquele tempo vocês andavam [habitualmente]. Vocês estavam seguindo o curso e a moda deste mundo [estavam sob domínio da tendência desta presente era], seguindo o príncipe do poder do ar. [Vocês eram obedientes a e estavam sob o controle d]o espírito [demoníaco] que ainda constantemente opera nos filhos da desobediência [os imprudentes, os rebeldes e os descrentes, que vão contra os propósitos de Deus].
2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;

3 Entre esses, nós, tanto quanto vocês, outrora vivemos e conduzimos nós mesmos nas paixões de nossa carne [nosso comportamento governado por nossa natureza corrupta e sensual], obedecendo aos impulsos da carne e os pensamentos da mente [nossos apetites, ditados por nossos sentidos e nossas imaginações obscurecidas]. Nós éramos, então, por natureza, filhos da ira [de Deus] e herdeiros de [Sua] indignação, como o resto da humanidade.
3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.
4 Mas Deus – tão rico em Sua misericórdia! Por causa de e de modo a satisfazer o grande, maravilhoso e intenso amor com o qual Ele nos amou,
4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou,

5 mesmo quando nós estávamos mortos (destruídos) por [nossos próprios] desvios e transgressões, Ele nos fez viver juntos em companheirismo e união com Cristo; [Ele nos deu a verdadeira vida do próprio Cristo, a mesma nova vida com a qual Ele O vivificou, pois] é por graça (Seu favor e misericórdia, a qual vocês não merecem) que vocês são salvos (liberados de julgamento e feitos participantes da salvação de Cristo).
5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, —pela graça sois salvos,

?6 E Ele nos ressuscitou juntos com Ele e nos fez sentarmos juntos [dando-nos assento junto com Ele] na esfera espiritual [em virtude de nós estarmos] em Cristo Jesus (o Messias, o Ungido).
6 e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus;
7 Ele fez isto para que possa claramente demonstrar através das eras por vir as imensuráveis (ilimitadas, transbordantes) riquezas da sua graça gratuita (Seu imerecido favor) em [Sua] bondade e benignidade de coração a nosso respeito em Cristo Jesus.
7 para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus.
8 Pois é por graça gratuita (o favor imerecido de Deus) que vocês são salvos (livrados de julgamentos e feitos participantes da salvação de Cristo) através da [sua] fé. E esta [salvação] não é de vocês [de seus próprios feitos, não veio através de esforço próprio], mas é presente de Deus.
8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;
9 Não por causa de feitos [não pelo cumprimento dos mandamentos da Lei], para que nenhum homem se orgulhe. [Isso não é o resultado do que ninguém tenha possibilidade de fazer, então ninguém pode orgulhar-se de si mesmo nisso e tomar a glória para si mesmo].
9 não de obras, para que ninguém se glorie.
?10 Pois nós somos o trabalho manual de Deus (Sua obra de arte), recreados em Cristo Jesus, [nascidos de novo] para que nós possamos fazer boas as quais Deus predestinou (planejou de antemão) para nós [tomando caminhos os quais Ele preparou antes do tempo], para que nós possamos caminhar nelas [vivendo a boa vida que Ele preordenou e aprontou para nós vivermos].
10 Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.
11 No entanto, se lembrem que naquele tempo, vocês eram gentios (odiáveis) na carne; chamados incircuncisão por aqueles que chamam a si mesmo de circuncisão, [que é uma mera marca] na carne feita por mãos humanas.
11 Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas,
12 [Lembrem-se] que vocês eram, naquele tempo, separados (viviam à parte) de Cristo [excluídos de toda a participação nEle], completamente estranhos e renegados dos direitos de Israel como nação, e estrangeiros sem nenhum compartilhamento nos pactos sagrados da promessa [Messiânica] sem nenhum conhecimento ou direitos nos pactos de Deus, Suas alianças]. E vocês não tinham nenhuma esperança (nenhuma promessa) e vocês estavam no mundo sem Deus.
12 naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo.
13 Mas agora, em Cristo Jesus, vocês que uma vez estiveram [tão] distanciados, através de (pelo, no) sangue de Cristo, foram trazidos para perto.
13 Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.
14 Pois Ele é [Ele mesmo] nossa paz (nosso laço de unidade e harmonia). Ele fez-nos ambos [judeus e gentios] um [corpo] e derrubou (destruiu, aboliu) o muro de hostilidade que fazia a divisão entre nós,
14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade,


15 Por abolir em Sua própria carne [crucificada] a inimizade [causada pela] Lei com seus decretos e ordenanças [os quais Ele anulou]; para que Ele, a partir dos dois, possa criar nEle mesmo um novo homem [uma nova qualidade de humanidade além dos dois], fazendo então a paz.
15 aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,

16 E [Ele designou] para reconciliar com Deus, ambos [judeus e gentios, unidos] num único corpo pelo significado da sua cruz, por causa disso matando a inimizade mútua e trazendo a rixa entre raças ao fim.
16 e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.
17 E Ele veio e pregou as boas novas de paz para vocês que estavam colocados longe e [paz] para aqueles que estavam perto. [Is 57:19]
17 E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto;
18 Pois é através dEle que nós ambos [tanto distantes, quanto próximos] agora temos uma apresentação (acesso) por um [Santo] Espírito ao Pai [nós capacitados a nos aproximarmos dEle].
18 porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.
19 Portanto, vocês não são estranhos distantes (exilados, emigrantes, e estrangeiros, excluídos dos direitos de cidadãos), mas vocês agora compartilham a cidadania com os santos (povo de propriedade de Deus, consagrados e colocados à parte por Ele mesmo): e vocês pertencem à família de Deus.
19 Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus,
20 Vocês estão construídos sobre o alicerce dos apóstolos e profetas com Cristo Jesus, Ele mesmo, sendo a Pedra fundamental.
20  edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular;
21 NEle, toda a estrutura é unida (ligada, soldada) junta harmoniosamente, e continua a levantar-se (desenvolver-se, incrementar-se) como um templo santo no Senhor [um santuário dedicado, consagrado e sacro para a presença do Senhor].
21 no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor,
22 Nele [e na companhia de uns com os outros] vocês mesmos também estão sendo edificados [dentro desta estrutura] com o restante, para formar uma morada fixa (lugar de moradia) de Deus no (por, através d)o Espírito.
22 no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.

Capítulo 3

1 Por esta razão, [porque eu preguei que vocês estão se edificando juntos], eu, Paulo, [sou] prisioneiro de Jesus o Cristo para a salvação e em favor de vocês gentios –
1 Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Cristo Jesus, por amor de vós, gentios,
2 considerando que vocês escutaram sobre a mordomia da graça de Deus (seu imerecido favor) que me foi encarregada [para dispensar a vocês] para seu benefício,
2 se é que tendes ouvido a respeito da dispensação da graça de Deus a mim confiada para vós outros;

3 [E] que o mistério (segredo) foi feito conhecido para mim e que me foi permitido compreender isso por revelação direta, como eu agora mesmo brevemente lhes escrevi.
3 pois, segundo uma revelação, me foi dado conhecer o mistério, conforme escrevi há pouco, resumidamente;

4 Quando vocês lerem isso poderão compreender minha percepção dentro do mistério de Cristo.
4 pelo que, quando ledes, podeis compreender o meu discernimento do mistério de Cristo,
?5 [Esse mistério] não foi nunca descoberto para os seres humanos nas gerações passadas como ele foi agora revelado para Seus santos apóstolos (mensageiros consagrados) e profetas pelo [Santo] Espírito.
5 o qual, em outras gerações, não foi dado a conhecer aos filhos dos homens, como, agora, foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas, no Espírito,
6 [É este:] que os gentios são agora co-herdeiros [com os judeus], membros do mesmo corpo e co-participantes [compartilhadores] na mesma promessa divina em Cristo através [da sua aceitação] das alegres notícias (o evangelho).
6 a saber, que os gentios são co-herdeiros, membros do mesmo corpo e co-participantes da promessa em Cristo Jesus por meio do evangelho;
7 Desse [evangelho] eu fui feito um ministro de acordo com o dom da graça gratuita de Deus (imerecido favor) a qual foi outorgada sobre mim pelo exercício (a operação em toda a sua efetividade) de Seu poder.
7 do qual fui constituído ministro conforme o dom da graça de Deus a mim concedida segundo a força operante do seu poder.
8 Para mim, acho que eu sou o menor de todos os santos (o povo consagrado de Deus), essa graça (favor, privilégio) foi concedida, fui  graciosamente encarregado de proclamar aos gentios as infindáveis (ilimitadas, insondáveis, incalculáveis e inexauríveis) riquezas de Cristo [fortuna que nenhum ser humano poderia sondar],
8 A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo
9 Também para iluminar todos os homens e tornar claro para eles qual é o plano [a respeito dos gentios e para prover a salvação de todos os homens] do mistério mantido escondido através das eras e oculto até agora na [mente de] Deus que criou todas as coisas por Cristo Jesus.
9 e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas,

10 [O propósito é] que através da igreja, a complicada, multiforme sabedoria  de Deus em toda a sua infinita variedade e inumeráveis aspectos possa agora ser feita conhecida aos governadores angelicais e autoridades (principados e poderes) na esfera celestial.
10 para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais,

11 Isso está de acordo com os termos do eterno e infinito propósito o qual Ele realizou e trouxe a efeito na pessoa de Cristo Jesus Nosso Senhor,
11 segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor,
12 Em quem, por causa de nossa fé nEle, nós ousamos ter a intrepidez (coragem e confiança) de livre acesso (uma aproximação sem reservas de Deus com liberdade e sem medo).
12 pelo qual temos ousadia e acesso com confiança, mediante a fé nele.
13 Então, eu convido vocês a não desanimar o coração [nem desanimar ou tornar-se desesperado através do medo] por causa do que eu estou sofrendo em seu benefício. [Pelo contrário, glorifiquem a Deus nisso], pois isso é uma honra para vocês.
13 Portanto, vos peço que não desfaleçais nas minhas tribulações por vós, pois nisso está a vossa glória.
14 Por isso, [vendo a grandeza de seu plano, pelo qual vocês estão sendo edificados juntos em Cristo], eu curvo meus joelhos diante do Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,
14 Por esta causa, me ponho de joelhos diante do Pai,

15 de Quem toda a família no céu e na terra recebe o nome [o Pai de quem toda a filiação recebe esse título e deriva seu nome],
15 de quem toma o nome toda família, tanto no céu como sobre a terra,
16 possa Ele conceder-lhes saída do rico tesouro da sua glória para serem fortalecidos e reforçados com poderosa força no homem interior pelo [Santo] Espírito [Ele mesmo habitando no seu mais íntimo ser e personalidade].
16 para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior;

17 possa Cristo através da sua fé [atualmente] habitar (instalar-se, fazer sua morada permanente) em seus corações! Possam vocês ser enraizados profundamente e alicerçados seguramente sobre o amor,
17 e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor,

18 para que vocês possam ter o poder e estarem fortes para apreender e agarrar com todos os santos [o povo devotado de Deus], a experiência deste amor, qual é a largura, o comprimento, a altura e a profundidade dele;
18 a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade

19 [para que vocês possam realmente vir] a conhecer [na prática, através da própria experiência] o amor de Cristo, o qual transborda muito o mero conhecimento [sem experiência]; para que vocês possam ser preenchidos [em todo o seu ser] de toda a plenitude de Deus [possam ter a medida mais rica da Divina Presença, e tornar-se um corpo completamente cheio e inundado do próprio Deus]!
19 e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus.
20 Ora para aquele que por (em conseqüência da) [ação de Seu] poder que está em operação dentro de nós, é capaz de [levar a efeito Seu propósito e] e superabundantemente mais, além e acima de tudo o que nós [ousarmos] pedir ou pensar [infinitamente além de nossas mais altas orações, desejos, pensamentos, esperanças ou sonhos] -
20 Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós,

21 a Ele, seja a glória na igreja e em Cristo Jesus através de todas as gerações para sempre e sempre. Amém (assim seja).
21 a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!




Capítulo 4

1 Eu, portanto, o prisioneiro do Senhor, apelo e suplico a vocês que andem (levem uma vida) digna do chamado [divino], para o qual vocês têm sido chamados, [com comportamento que dê crédito para os recomendar para o serviço de Deus,
1 Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados,
2 vivendo como vocês se tornaram] em completa submissão de mente (humildade) e brandura (generosidade, gentileza e submissão) com paciência, suportando-se uns aos outros e fazendo concessões, por amarem-se uns aos outros.
2 com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor,

3 Estejam ávidos e esforcem-se honestamente para guardar e manter a harmonia e a unidade de [e produzida pelo] Espírito, no vínculo do poder da paz.
3 esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz;

4 [Há] um corpo e um Espírito – tanto quanto há também uma esperança [que pertence] ao chamado que vocês receberam - 
4 há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação;

5 [Há] um Senhor, uma fé, um batismo,
5 há um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
6 Um Deus e Pai de nós todos, o qual é acima de todos [Soberano sobre todos], impregnado em todos e vivendo em todos nós.
6 um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.
7 Contudo a graça (favor imerecido de Deus) foi dada para cada um de nós individualmente [não indiscriminadamente, mas de diferentes formas] em proporção à medida do [rico e abundante] dom de Cristo.
7 e a graça foi concedida a cada um de nós segundo a proporção do dom de Cristo.
8 Por isso é dito:  “Quando Ele ascendeu às alturas, Ele levou o cativeiro cativo [Ele levou uma fila de inimigos conquistados presos em cadeias]”  e outorgou presentes sobre os homens. [Salmo 68:18]
8 Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens.
9 [Mas Ele ascendeu?] Ora, o que pode querer dizer isso: “Ele acendeu”, senão que Ele havia previamente descido das [alturas do] céu [para dentro das profundezas], as partes mais baixas da terra?
9 Ora, que quer dizer subiu, senão que também havia descido às regiões inferiores da terra?
10 Aquele que desceu é o mesmo que também ascendeu muito acima de todos os céus, para que Ele [Sua presença] possa preencher todas as coisas (todo o universo, do mais baixo ao mais alto).
10 Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.
11 E seus dons foram [variados; Ele mesmo apontou e deu homens para nós] alguns para serem apóstolos (mensageiros especiais), alguns para profetas (pregadores e expositores inspirados), alguns para evangelistas (pregadores do Evangelho, missionários viajantes), alguns pastores (guardadores do Seu rebanho) e mestres.
11 E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres,
12 Sua intenção foi o aperfeiçoamento e a equipagem completa dos santos (Seu povo consagrado), [para que eles possam fazer] a obra do ministério com respeito à edificação do corpo de Cristo (a Igreja),
12 com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo,
13 [para que isso possa desenvolver-se] até que nós todos atinjamos a unidade na fé e a compreensão do [completo e preciso] conhecimento do Filho de Deus, para que [nós possamos chegar] à verdadeira maturidade (a compleição de personalidade que não é nada menos do que o padrão da própria perfeição de Cristo), à medida da estatura da plenitude de Cristo e a compleição encontrada nEle.
13 Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo,
14 Para que, nós não sejamos mais crianças, jogadas [como navios] balançando entre ventos ocasionais de ensino e oscilantes com todo o vento mutante de doutrina, [como presas da] astúcia e esperteza de homens inescrupulosos, [jogadores viciados] em toda forma trapaceira de inventar erros para enganar.
14 para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro.
15 Pelo contrário, levem suas vidas expressando amorosamente a verdade [em todas a coisas, falando verdadeiramente, conduzindo-se verdadeiramente, vivendo verdadeiramente]. Envolvidos pelo amor vamos crescer em cada forma e em todas as coisas em que Ele é a cabeça, Cristo (o Messias, o Ungido).
15 Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,
16 Pois por causa dEle todo o corpo (a igreja, em todas as suas várias partes), intimamente juntas e firmemente tecidas em conjunto, unidas pelas juntas e ligamentos com os quais isso é suprido, quando cada parte [com o poder adaptado à sua necessidade] está operando propriamente [em todas as suas funções], cresce para a completa maturidade, edificando-se a si mesma em amor.
16 de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.

17 Então eu digo isto e solenemente testifico no [nome do] Senhor [como em sua presença], que vocês não devem desejar viver como os pagãos [os gentios] fazem, em sua perversidade [na loucura, vaidade e vazio de suas almas e na futilidade] de suas mentes.
17 Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos,
18 A compreensão moral deles é obscurecida e a razão deles é enevoada. [Eles são] alienados (estrangeiros, auto-excluídos) da vida de Deus [sem nenhuma participação nela] por causa da ignorância (do seu desejo de conhecimento e percepção, a cegueira de vontade) que está profundamente estabelecida neles, devido à sua dureza de coração [que causa a insensibilidade de sua natureza moral].
18 obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração,

19 Em sua apatia espiritual, eles se tornaram calejados, endurecidos, sem sentimentos, imprudentes e abandonaram a si mesmos [como uma presa] para a desenfreada sensualidade, desejosos e ávidos para incorrer em toda a forma de impureza [que seus desejos depravados possam sugerir e demandar].
19 os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza.
20 Mas, vocês não aprenderam assim a Cristo!
20 Mas não foi assim que aprendestes a Cristo,
21 Considerando que vocês realmente escutaram e Ele e foram ensinados por Ele, de que [toda] a verdade está em Cristo Jesus [encarnada e personificada] nEle,
21 se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus,
22 Dispam a sua antiga natureza [coloquem de lado e descartem o seu eu não renovado] que caracterizou sua maneira anterior de viver e tornou-se corrupta através dos apetites e desejos que brotam do engano;
22 no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano,

23 E sejam constantemente renovados no espírito de suas mentes [tendo uma atitude mental e espiritual fresca, nova],
23 e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,
24 E vistam-se da nova natureza (o eu regenerado) criado à imagem de Deus, [semelhante a Deus] na verdadeira justiça e santidade.
24 e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.
25 Portanto, rejeitando toda falsidade e sendo feitos agora assim, expresse cada um a verdade com o seu próximo, pois nós somos todos, partes de um corpo e membros uns dos outros. [Zacarias 8:16]
25 Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros.

26 Quando irados, não pequem; nem mesmo deixem sua ira (sua exasperação, sua fúria ou indignação) permanecer até que o sol se ponha.
26 Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira,

27 Não deixem um quarto ou um apoio para os pés para o diabo (não dê nenhuma oportunidade a ele).
27 nem deis lugar ao diabo.
28 O ladrão não roube mais, mas pelo contrário seja ele produtivo, mantendo uma vida honesta, trabalhando com suas próprias mãos, para que ele esteja capacitado para dar ao necessitado.
28 Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado.
29 Não haja nenhuma linguagem suja ou repugnante; nem más palavras; nem conversa doentia ou indigna [sequer] saia de sua boca, mas apenas a fala que é boa e beneficie o progresso espiritual de outros, quando for apropriada para a necessidade e para a ocasião, para que ela possa ser uma bênção e dar graça (favor de Deus) para aqueles que a ouvirem.
29 Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem.

30 e não aflija o Santo Espírito de Deus [não ofenda ou vexe ou entristeça a Ele], por quem vocês foram selados (marcados com ferro em brasa como propriedades garantidas de Deus) para o dia da redenção (da libertação final através de Cristo, do mal e das conseqüências do pecado).
30 E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.
?31 Deixem toda a amargura e indignação e ira (paixão, raiva, mau temperamento) e ressentimento (raiva, animosidade) e rixa (briga, clamor, contendas); e difamação (maledicência, linguagem abusiva ou blásfema) sejam banidas de entre vocês, junto com toda a malícia (despeito, má vontade ou baixezas de qualquer espécie).
31 Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia.
32 E tornem-se úteis, solícitos e ternos uns com os outros; sensíveis (compassivos, compreensivos, amorosos), perdoando-se uns aos outros [prontamente e gratuitamente], como Deus em Cristo perdoou vocês.
32 Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.

Capítulo 5

1 Portanto, sejam imitadores de Deus [copiem a Ele e sigam seu exemplo], como filhos amados [imitam seus pais].
1 Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;
2 E andem em amor, [estimando-se e agradando-se uns nos outros] como Cristo nos amou e deu a si mesmo por nós, uma oferta imolada e um sacrifício a Deus [por vocês, para que isso se tornasse] uma doce fragrância. [Ezequiel 20:41].
2 e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave.

3 Mas, imoralidade (vício sexual) e toda impureza [de luxúria, vida de desperdícios] ou avidez não devem nem mesmo serem nomeadas entre vocês, como é apropriado e próprio entre os santos (povo consagrado de Deus).
3 Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos;
4 Não haja nenhuma imundície (obscenidade, indecência), nem torpeza, nem conversa pecaminosa (tola e corrupta), nem piadas grosseiras, que não são adequadas ou convenientes; mas ao invés disso, dêem voz às suas ações de graças [a Deus].
4 nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças.
5 Pois estejam certos disso: que nenhuma pessoa que pratica vício sexual ou impureza em pensamento ou na vida, ou aquele que é cobiçoso [que têm desejo de luxúria pela propriedade de outros e é ávido pelo ganho] – pois ele [de fato] é um idólatra – tem nenhuma herança no reino de Cristo e de Deus.
5 Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.
6 Não deixem que ninguém os engane e iludam vocês com desculpas vazias e argumentos infundados [para esses pecados], pois através destas coisas a ira de Deus vem sobre os filhos da rebelião e desobediência.
6 Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.
7 Então, não se associem ou compartilhem com eles.
7 Portanto, não sejais participantes com eles.
8 Pois antes vocês foram trevas, mas agora vocês são luz no Senhor; andem como filhos da Luz [levem a    vida daqueles que são nascidos de novo para a Luz].
8 Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz

9 Pois o fruto (o efeito, o produto) da Luz ou o Espírito [consiste] em toda a forma de terna bondade, integridade de coração e sinceridade de vida.
9 (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade),
10 E tentem aprender [em sua experiência] o que é aprazível ao Senhor [façam suas vidas serem constantes provas do que é mais aceitável a Ele].
10 provando sempre o que é agradável ao Senhor.
11 Não tomem parte, não tenham nenhuma amizade com as obras infrutíferas e com os empreendimentos das trevas, mas ao invés disso [façam suas vidas estarem em contraste com elas para] expor e reprovar e convencer a eles.
11 E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as.

12 Pois é uma vergonha apenas falar ou mencionar as coisas que [tais pessoas] praticam em segredo.
12 Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha.
13 Mas quando qualquer coisa é exposta e reprovada pela luz, ela é feita visível e clara; e onde tudo é visível e claro existe luz.
13 Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz.
14 Por isso, Ele diz: “Acorda, Ó dorminhoco, e levanta da morte e Cristo iluminará (fará o dia amanhecer sobre) você e lhe dará luz” [Isaías 26:19; 60:1]
14 Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará.

15 Observem cuidadosamente então como vocês andam! Vivam determinada, sabia e precisamente, não como o desajuizado ou o néscio, mas como sábios (pessoas sensíveis e inteligentes),
15 Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios,
16 Fazendo o máximo do tempo (aproveitando cada oportunidade), porque os dias são maus.
16 remindo o tempo, porque os dias são maus.
17 Portanto, não estejam vadios, sem entendimento e tolos, mas compreendendo e agarrando firmemente o que seja vontade de Deus.
17 Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.

18 E não se embriaguem com vinho, pelo que há devassidão, mas sempre seja cheio e estimulado com o [Santo] Espírito. [Pv 23:20]
18 E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito,

19 Falem uns com os outros em salmos, hinos e canções espirituais, oferecendo louvor com vozes [e instrumentos] e fazendo melodia com todo o seu coração para o Senhor,
19 falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais,
20 em todos os momentos e por todas as coisas dando graças no nome de nosso Senhor Jesus Cristo para Deus o Pai.
20 dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo,
21 Sejam sujeitos uns aos outros dentro da reverência de Cristo (o Messias, o Ungido).
21 sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.
22 Esposas estejam sujeitas (sejam submissas e adaptem a vocês mesmas) a seus próprios maridos como [um serviço para] o Senhor,
22 As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor;
23 Pois o marido é o cabeça da esposa como Cristo é o Cabeça da Igreja, Ele mesmo o Salvador de Seu corpo.
23 porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo.
24 Como a igreja é sujeita a Cristo, as mulheres também se sujeitem em tudo ao seu marido.
24 Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido.
25 Maridos amem suas esposas, como Cristo amou a igreja e deu a si mesmo por ela,
25 Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela,
26 para que Ele a pudesse santificar, havendo a purificado pela lavagem de água com a Palavra,
26 para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra,
27 para que Ele possa apresentar a igreja a si mesmo em glorioso esplendor, sem mancha nem mácula ou nenhuma destas coisas [que ela possa ser santa e sem faltas].
27 para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.
28 Então, maridos devem amar as suas esposas como [sendo num sentido figurado] seus próprios corpos. Aquele que ama a sua própria esposa ama a si mesmo.
28 Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama.

29 Pois nenhum homem odeia a sua própria carne, mas a nutre e cuidadosamente a protege e cuida dela, como Cristo faz com a Igreja.
29 Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja;
30 Porque nós somos membros (partes) do corpo de Cristo.
30 porque somos membros do seu corpo.
31 Por esta razão, um homem deve deixar seu pai e sua mãe e deve se unir à sua mulher e os dois se tornarão uma carne [Gn 2:24]
31 Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne.
32 Este mistério é muito grande, mas eu falo a respeito [do relacionamento de] Cristo e a Igreja.
32 Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja.
33 De qualquer maneira, cada homem de vocês, [sem exceção] ame sua esposa como sendo [em um sentido figurado] seu próprio eu; e a esposa observe o respeito e reverencie seu marido [que ela o note, respeite a ele, honre a ele, prefira a ele, e o estime; e  que ela ceda a ele, elogie a ele, o ame e o admire excedentemente]. [I Pedro 3:2]
33 Não obstante, vós, cada um de per si também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido.


Capítulo 6

1 Filhos, obedeçam seus pais no Senhor [como Seus representantes], pois isto é justo e correto.
1 Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo.
2 Honrem (estimem e valorizem como preciosos) seu pai e sua mãe – esse é o primeiro mandamento com uma promessa – [Êxodo 20:12]
2 Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa,
3 Para que possam viver bem e longamente sobre a terra.
3 para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.
4 Pais, não irritem e provoquem seus filhos à ira [não os exasperem até o ressentimento], mas os instruam [ternamente] no treinamento, disciplina e no conselho do Senhor.
4 E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.
5 Servos (escravos), sejam obedientes àqueles que são seus senhores físicos, tendo respeito por eles e estejam desejosos com respeito a agradá-los, em singeleza de motivos e de todo o coração, como (servindo) a Cristo [Ele mesmo] - 
5 Quanto a vós outros, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo,
6 Não apenas servindo à vista [como se eles estivessem lhes observando!] agindo apenas para agradar a homens, mas como servos (escravos) de Cristo, fazendo a vontade de Deus sinceramente e com toda a sua alma;
6 não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus;
7 Prestando serviço prontamente com boa vontade, como ao Senhor e não para os homens,
7 servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens,
8 Sabendo que para qualquer bondade que alguém faz, ele receberá sua recompensa do Senhor, quer seja escravo ou livre.
8 certos de que cada um, se fizer alguma coisa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer seja servo, quer livre.

9 Vocês, senhores, ajam sobre o mesmo [princípio] a respeito deles e desistam de fazer-lhes ameaças e usar de palavras violentas e abusivas, sabendo que Aquele que é Senhor de ambos está no céu, e que nEle não há acepção de pessoas (nenhuma parcialidade).
9 E vós, senhores, de igual modo procedei para com eles, deixando as ameaças, sabendo que o Senhor, tanto deles como vosso, está nos céus e que para com ele não há acepção de pessoas.

10  Enfim: Sejam fortes no Senhor [sejam fortalecidos através da união com Ele]; extraiam suas forças dEle [a força  que a ilimitação dEle pode prover].
10 Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.
11. Vistam a armadura de Deus completa [a armadura de um soldado fortemente armado que Deus dá como suprimento], para que vocês sejam capazes de para prevalecer  eficazmente contra [todas] as estratégias e enganos do demônio.
11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo;

12 Pois nós não estamos disputando com carne e sangue [contendendo apenas com oponentes físicos], mas contra as tiranias, contra os poderes, contra [os espíritos dominadores que são] os governadores mundiais desta presente escuridão, contra as forças espirituais da maldade na esfera celestial (sobrenatural).
12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.
13 Por isso, coloquem a armadura completa de Deus, para que vocês possam ser capazes de resistir e permanecer firmes na sua posição no dia mal [de perigo], e, tendo feito tudo [a demanda da crise] permanecer [firmemente em seu lugar].
13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.
14 Permaneçam, portanto, [defendam seu território], havendo apertado o cinto da verdade em torno de seus lombos e colocado a couraça da integridade, da retidão moral e posição reta com Deus,
14 Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça.

15 e tendo calçado seus pés na preparação [para enfrentar o inimigo com a estabilidade fortemente calçada, a prontidão e a disposição produzida pelas boas novas] o Evangelho da paz. [Is 52:7]
15 Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz;
16 Levantando sobre tudo o escudo [cobertura] da fé salvadora, com o qual vocês podem apagar todas as setas inflamadas do maligno.
16 embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.

17 E tomando o capacete da salvação e a espada que o Espírito maneja, que é a Palavra de Deus.
17 Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;
18 Orem em todos os momentos (em toda ocasião, em toda estação) no Espírito, com toda a [forma de] oração e súplica. Com o fim de manter-se alerta e observar o poderoso propósito e perseverar, intercedendo em favor de todos os santos (o povo consagrado de Deus).
18 com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos

19 E (orem) também por mim, para que [liberdade de] falar possa ser dada a mim, para que eu possa abrir minha boca para proclamar corajosamente o mistério das boas novas (o Evangelho),
19 e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho,

20 Pelo qual eu sou um embaixador em algemas [em prisão. Orem] para que eu possa declarar o evangelho ousada e corajosamente, como eu devo fazê-lo.
20 pelo qual sou embaixador em cadeias, para que, em Cristo, eu seja ousado para falar, como me cumpre fazê-lo.
21 Agora, para que vocês possam saber como eu estou e o que eu estou fazendo, Tíquico, o amado irmão e digno ministro no Senhor [e seu servo], lhes contará tudo.
21 E, para que saibais também a meu respeito e o que faço, de tudo vos informará Tíquico, o irmão amado e fiel ministro do Senhor.

22 Eu o enviei para vocês com esse propósito, para que vocês possam saber como nós estamos e para que ele possa consolar, alegrar, encorajar e fortalecer os seus corações.
22 Foi para isso que eu vo-lo enviei, para que saibais a nosso respeito, e ele console o vosso coração.
23 Paz seja com os irmãos, e amor unido à fé, de Deus o Pai e do Senhor Jesus Cristo (o Messias, o Ungido).
23 paz seja com os irmãos e amor com fé, da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo.
24 Graça (o favor cuidadoso de Deus) sejam com todos que amam nosso Senhor Jesus Cristo com amor imortal e incorruptível. Amém (Assim seja).
24 A graça seja com todos os que amam sinceramente a nosso Senhor Jesus Cristo.

leia livros online agora e de graça,no nosso blog ,livros online,com apostolo Rosinaldo pereira de lima,s´aqui tem livros online,gratis!
NOSSO BLOG: LIVROS QUE EDIFICA SUA FÉ ONLINE
vc pode agora ler os melhores livros online de graça no nosso blog livros online que edifica sua fé ,
emtão não perca tempo e compartilhe com seus amigos agora ,livros online.
 LIVROS  QUE EDIFICA SUA FÉ ONLINE
leia e adquira conhecimento espiritual ,lembre-se é bom adquirir conhecimento

COMPARTILHE